Cursos e Debates

 

Biblioteca Hipátia

TV Cidadania Livre

 

Ato do dia 14: chega de besteira! Grande ato pela liberdade de Lula!

liblula

Causa Operária – Após diversas tentativas, por parte de representantes da esquerda em consonância com a direita, de abafar o clamor popular pela liberdade de Lula, com desculpas esfarrapadas de que é uma palavra de ordem que não unificaria a esquerda, ou que haveria tentativas de sequestrar os atos pela educação com pautas difusas, finalmente estamos diante de provas incontestáveis da promiscuidade dos atores da operação Lava Jato e de seu caráter político com as denúncias do The Intercept Brasil.

Há quem ainda defenda a operação como uma importante iniciativa na luta contra a corrupção, e que o problema estaria somente em alguns juízes ou promotores, que poderiam ser substituídos por servidores honestos que levariam à frente o combate à corrupção. Porém esse cenário jamais será possível, uma vez que qualquer movimento contra a corrupção tem o mesmo objetivo final: promover uma caça às bruxas contra os que estiverem atrapalhando os interesses da burguesia golpista.

Diante dos acontecimentos, a exigência de liberdade para Lula, comprovadamente um preso político, deve ser, mais do que nunca, uma palavra de ordem central na greve geral do dia 14. Os atos devem ser convocados para exigir a imediata saída do ex-presidente da cadeia e anulação completa dos processos da Lava Jato.

Os vazamentos comprovam também a farsa da eleição de 2018 e a manipulação para tornar possível o governo Bolsonaro. Assim, esse escândalo dá força ao “Fora Bolsonaro” que já vinha ganhando espaço antes mesmo das conversas tornarem-se públicas. Com o fim do governo, novas eleições gerais devem ser convocadas com Lula livre e candidato, para que o povo possa realmente escolher seu representante, e não os juízes e promotores da burguesia.

Mesmo com as acusações pesando contra Moro e Dallagnol, a burguesia não vai abrir mão tão facilmente da prisão de Lula. Outros processos contra o ex-presidente estão por vir, para garantir que seja mantido no cárcere mesmo com a nulidade dos julgamentos aos quais já foi submetido. Portanto é necessário tomar as ruas pela libertação de Lula, pois somente o povo tem força para tirá-lo da cadeia e acabar com toda a farsa do golpe de uma vez por todas.

fonte: https://www.causaoperaria.org.br/ato-do-dia-14-chega-de-besteira-grande-ato-pela-liberdade-de-lula/

O grande segredo: golpe, perseguição política, fraude eleitoral e subserviência ao imperialismo

Sérgio Moro e Dallagnol no Fórum Mãos Limpas & Lava Jato

Bem antes do primeiro ato efetivo do golpe, a deposição da presidenta Dilma por meio do impeachment, já dava para perceber que estava em movimento as engrenagens com o objetivo de levar a cabo pelo imperialismo e a grande burguesia nacional um “grande segredo” feito escancaradamente à luz do diz.

As revelações do The Intercept dando conta das maquinações entre o Ministério Público e o “quartel da Lava-Jato em Curitiba” somente comprovam de maneira mais evidente que tudo foi uma grande armação, desde o mensalão e do impeachment, para afastar a esquerda do poder e entregar o País ao imperialismo.

um setor minoritário da esquerda, para não dizer só o PCO, apontou pelo menos desde 2013, que a evolução da situação política no Brasil não deixava margens de dúvidas de que a direita trabalhava a pleno vapor para derrubar o governo do PT.

As evidências começaram fora do próprio país e apontava uma mudança do imperialismo, principalmente do norte-americano, no sentido de varrer com os governos de tipo nacionalista, que chegaram ao governo em praticamente toda a América Latina como produto da profunda crise resultado da “onda neoliberal” no final do século passado início deste.

Já em 2009 o imperialismo havia imposto a derrubada do governo de Manuel Zelaya, em Honduras, com características semelhantes à operação brasileira e em 2012, também foi derrubado por um impeachment o presidente Fernando Lugo, no Paraguai.

No caso brasileiro, a expectativa do golpe era a sacramentação da vitória eleitoral de Aécio Neves, uma operação do tipo argentina. Diante do fracasso, com a vitória de Dilma Roussef, as forças golpistas intensificaram o boicote a presidenta Dilma, tanto do ponto de vista econômico como de inviabilizar politicamente o governo petista.

Foi durante esse período que ganhou cada vez maior destaque a operação Lava-Jato, arquitetada nos Estados Unidos, como uma operação jurídico-policial para perseguir os principais dirigentes petistas, a começar pelo próprio Lula.

Desde o processo de impeachment de Dilma Roussef, o que se assistiu no país foi a unificação do toda a burguesia e as instituições do País para liquidar com a esquerda.

O objetivo dos golpistas era claro: promover o golpe de Estado por meio de uma fraude gigantesca e oficializar o golpe com as eleições de 2018, elegendo um presidente do golpe e abrindo caminho para estabelecer um novo regime político saído do golpe.

Para a consumação de sua política, era absolutamente necessário tirar da cena política o ex-presidente Lula. Mesmo com toda a campanha conduzida contra Lula pelos meios de comunicação da burguesia e do imperialismo, o ex-presidente cada vez mais se colocava para a população como a materialização do repúdio popular ao golpe.

Com isso, os golpistas não tiveram pejo em dar um novo golpe dentro do golpe, com a participação ativa dos militares para impedir a sua candidatura.

As informações trazidas à tona pelo The Intercept caíram como uma bomba no meio de uma situação política que se encontra à beira da explosão e mostram justamente os bastidores da podridão da operação Lava-Jato como um instrumento central do golpe de Estado no Brasil.

fonte: https://www.causaoperaria.org.br/o-grande-segredo-golpe-perseguicao-poliitica-fraude-eleitoral-e-subserviencia-ao-imperialismo/

Últimas Notícias