Cursos e Debates

 

Biblioteca Hipátia

TV Cidadania Livre

 

UNE também mobiliza para o dia 15

60257782_2571419519552157_9156524371290882048_o

Diante da enorme onda de protestos que está se levantando nas universidades e demais instituições federais de ensino de todo o País, a União Nacional dos Estudantes (UNE) decidiu convocar a mobilização nacional para o dia 15 de Maio, Dia Nacional de Greve da Educação, convocado pelas organizações de professores do ensino básico (CNTE e Sindicatos) e apoiado também pelos Sindicatos dos docentes universitários (ANDES) e dos funcionários da universidades (Fasubra), entre outros.

Neste dia ocorrerão manifestações por todo o País, chamadas por estudantes, sindicatos de professores, partidos políticos e centrais sindicais.

A base estudantil das universidades estão se mobilizando contra os ataques do governo neoliberal fascista de Jair Bolsonaro (PSL), que anunciou cortes no orçamento das universidades federais e suspensão de bolsas de mestrado e doutorado. Os cortes inviabilizam o funcionamento das universidades e impedem o desenvolvimento da ciência brasileira. Já ocorreram mobilizações em diversas universidades, escolas e nos institutos federais de ensino.

A mobilização da juventude estudantil tem papel importante para abrir caminho no sentido de uma mobilização geral contra o governo e o regime político golpista. Contudo, a mobilização tem que ir para além da luta defensiva contra os cortes orçamentários, pois tem que unir todas as reivindicações setoriais em um programa democrático de luta contra a destruição da Previdência, contra as terceirizações, em defesa das universidades, por permanência estudantil, contra o sucateamento do ensino público, por liberdade irrestrita de ensino e pesquisa e contra a censura, pelo fim do vestibular e para que os filhos e filhas de trabalhadores possam ter acesso à universidade e nela permanecerem.

A mobilização tem que ser política, de enfrentamento geral ao regime, norteada pelas palavras de ordem Fora Bolsonaro e Liberdade para Lula.

fonte: https://www.causaoperaria.org.br/une-tambem-mobiliza-para-o-dia-15/


Dia 15, todos às ruas com os professores e estudantes

FORA BOZO FAIXA

Na próxima quarta, 15 de maio, professores e estudantes da rede pública, das universidades federais, e de vários segmentos da rede privada, vão parar na Greve Nacional da Educação, contra a destruição do ensino público e o roubo das aposentadorias, ma disfarçado de “reforma da Previdência”, que o governo ilegítimo de Jair Bolsonaro, tenta impor.

Inicialmente chamada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), com uma greve que tem como eixo central a luta contra a reforma da Previdência, a greve tomou novo impulso com a adesão massiva dos professores universitários por conta do anúncio pelo governo em sua intenção de cortar 30% por cento das verbas das universidades e institutos federais, significando na prática a paralisação do funcionamento dessas instituições já neste ano.

Diante da clara tendência para que a greve se transforme em um polo mobilizador para a greve geral marcada para junho, é preciso levar a luta para que o movimento adote uma política que seja capaz não apenas de conduzir um protesto contra os ataques mas de levar a uma derrota do regime golpista.

Para isso  é necessário uma palavra de ordem que englobe todas as lutas parciais e reivindicações dos trabalhadores e essa palavra de ordem, necessariamente tem de ser Fora Bolosonaro! Justamente por expressar o sentimento popular crescente e por unificar todos os trabalhadores contra o conjunto da política do governo de extrema-direita e não simplesmente a reivindicações parciais.

Fora Bolsonaro é a expressão da unidade, da luta e da crescente mobilização de todo o povo explorado.

Junto com esse eixo, é preciso levantar um conjunto de reivindicações para se opor aos ataques e apresentar uma alternativa dos trabalhadores diante da crise tais como propostas diante da destruição do ensino público e da entrega do País ao imperialismo e os ataques aos direitos democráticos do povo, dentre as quais destacamos:

* Nenhum corte nas verbas para a Educação, que os capitalistas paguem pela crise

* Mais verbas para a Educação. Verbas públicas somente para o ensino público

* Nacionalizar o petróleo. Cancelar as privatizações e reestatizar a Petrobras (100% estatal) para garantir os recursos necessários à Educação, Saúde etc.

* Derrotar a “reforma” da Previdência. Aposentadoria para as professoras aos 25 anos de trabalho e para os professores aos 30 anos

* Abaixo a Escola com Fascismo e a Militarização das Escolas. Abaixo a ditadura nas Escolas: eleição direta de todos os cargos de gestão e controle das Escolas e Universidades pela comunidade escolar

* Ensino Público, Laico e de qualidade para todos, em todos os níveis

* Liberdade para Lula e todos os presos políticos

* Fora Bolsonaro e todos os golpistas

fonte: https://www.causaoperaria.org.br/dia-15-todos-as-ruas-com-os-professores-e-estudantes/

 

 

Últimas Notícias