Cursos e Debates

 

Biblioteca Hipátia

TV Cidadania Livre

 

Músico negro preso sem provas vai para prisão domiciliar por um crime que não cometeu

Luiz Carlos Justino foi preso em abordagem policial na última quarta-feira (2) em Niterói sob a acusação de supostamente ter participado de um assalto ocorrido há 3 anos atrás, em 2017. Mesmo com o fato de que Luiz trabalhava no horário do ocorrido, o jovem segue em prisão domiciliar por determinação da justiça.

Esquerda Diário

segunda-feira 7 de setembro| Edição do dia

Luiz Carlos e outros três amigos foram abordados pela polícia na última quarta-feira (2), após terem se apresentado com parte da Orquestra de Cordas da Grota de Niterói. A polícia alega reconhecimento por foto pela vítima do ocorrido em 2017. Contudo, há 3 anos atrás Luiz possuía contrato com uma padaria onde tocava todos os domingos pela manhã, período em que o assalto ocorreu. No sábado (5), Luiz foi liberado do presídio porém segue em prisão domiciliar por um crime que não cometeu.

O jovem ficou preso por engano durante 4 dias no Complexo Penitenciário de Guaxindiba em São Gonçalo. Ele relatou ter sentido muito medo de morrer e que estava sem dormir desde quarta-feira. Luiz é mais uma vítima do racismo policial e judicial, que para prender um jovem negro procura acusação inclusive de anos atrás. Essa também é a faceta mais racista de um judiciário que tem pessoas negras como alvo, legitimando o encarceramento em massa da população negra no Brasil. A mesma justiça que oferece prisão domiciliar a um político ligado às milícias como Queiroz e nega a um homem que furtou 2 xampus.

Nos solidarizamos com Luiz Carlos e sua família e repudiamos completamente o racismo policial e judicial que segue permitindo a prisão arbitrária da população negra brasileira. É preciso fazer ecoar os questionamentos profundos do Black Lives Matter nos EUA sobre a instituição policial e exigir o fim da polícia aqui no Brasil também. Assim como precisamos questionar a Justiça, levada a frente por pessoas que ninguém elegeu e permite ataques brutais aos trabalhadores e todos setores oprimidos da sociedade.

 

fonte: http://www.esquerdadiario.com.br/Musico-negro-preso-sem-provas-vai-para-prisao-domiciliar-por-um-crime-que-nao-cometeu

Últimas Notícias

CopyLeft Cidade Livre 2019 - Comunidade Livre de Aprendizagem